terça-feira, setembro 22, 2015

vou me livrar de você


https://www.youtube.com/watch?v=Mqx8fe7v7po


o lance é
a primavera praticamente chegou
reguei a terra dos lírios sem pretensões
um renasce
renasço junto com suas folhas
espero as pétalas pro meu próprio desabrochar

https://www.youtube.com/watch?v=ptBNgCghWZE



não dinheiro aflinge
não amor deprime

tudo isso no sim
nem sempre
adianta

quase primavera e o meu corpo se expande de tal maneira que quase não cabe dentro de sua própria estrutura
mais importante que rever conceitos é aprender a rever padrões, atitudes, o tipo de sustentação vibratória que estamos criando
dentro disto podemos captar as consequências das estruturas que criamos e somos submetidos e que sem atenção, mantemos
lembrar que medo é uma ilusão porque tudo e todos estão alinhados numa organização invisível gigantesca de acontecimentos
lembrar que se sentiu é porque é, e se é, porquê ?
não sustentar energias que se foram
cada dia é uma oportunidade para novas perspectivas, cada noite é uma oportunidade para renovações físicas, mentais, energéticas e espirituais
experiências não são derrotas, são vivências
aprender a enxergar a intuição assim como se enxerga o mais claro dos objetos
observar as ambições os obstáculos as desculpas e as possibilidades
amar e não se culpar
seguir
adiante

domingo, julho 19, 2015

cintilo respiro reflito: existo
conflito caminho catálogo: duvido
subsídio solstício sozinho: medito
consigo comigo escalo, abismo
sentindo sigo o sentido.



Pós ouro preto cipó bh pé inflamado crise depressiva tomar sol alongar cachoeira água doce trilhas suor amor comida

sábado, julho 04, 2015

acho que com o tempo não tem mais isso do corpo ficar simples
será?
o que mais me acomete é estabelecer a infinitude de possibilidades propostas
quando dentro da gente vamos enraizando as coisas, isso de ter memória e depois repetir situações a partir de
somos seres brilhantes
luminosos
espirituais
todos os sentimentos fazem parte de todas as coisas
dia de chuva fina frio gostoso e solidão
observo o que posso enxergar das pessoas e dos mundos externos e acabo por concluir que tudo não passa de uma continuação dos meus mundos internos
muito absurdamente expansivo isso de não existir conclusão nem linha reta pros acontecimentos
apenas fluir
relaxando internamente
assimilando os fatos externamente
cada qual nos seus micro ou macro espaços
cumprindo tratos
e contratos.

domingo, junho 28, 2015

enquanto você circula
pelas minhas memórias
eu sigo assimilando
que o amor
é pura estratégia

quarta-feira, junho 03, 2015

ah quantas cobranças do que deve ou não deve ser feito
e a vida vai massacrando mesmo
e isso de encontrar forças viscerais pra continuar
é bonito
porque tem essa balança do bom e do ruim
e pelo taoísmo nem bom nem ruim
e aí as relações 
todas
todo mundo
atingir expectativas, não acumular 
simplesmente ser
sem esforço
e com muito esforço
ahhhhh e a solidão
os buracos internos
e as feridas sendo formadas cotidianamente
também as alegrias belezas maturidade
de onde é quem vem o tal do cíume? 
quem foi que inventou esse conceito absurdo? 
e a vontade de ficar sozinho também, os medos e as surpresas e oscilações..
lua cheia? 
saudade da natureza
preguiça de exposição
confusão calma 

sexta-feira, maio 29, 2015

a ju hoje me lembrou que o amor existe, que coisa linda
na cidade somos mero sofredores
desajeitados
famintos
tem dia que pareço máquina enferrujada, desesperada pra que as coisas se encaixem
é tanto barulho na cidade que a gente esquece
que ta tudo fluído
escrito? 
que cada passo é um ensaio firme pro próximo passo
juízo final cotidiano
barulho lá fora
silêncio aqui dentro
silêncio lá fora
barulho aqui dentro
nós somos grandes mulheres

domingo, maio 10, 2015

eu percebo que são ciclos, tenho conhecido muitos tipos de pessoas, de modos de vida, muitos olhares e ouvidos e maneiras de perceber e se mover no mundo, nas experiências nos territórios... tenho conhecido pessoas com as melhores e mais lindas teorias, e mais tenebrosas e insalubres atitudes, pessoas silenciosas e simples nas teorias, amáveis e generosas nas atitudes, também tudo isso oscila,tudo no eterno movimento, o nascer e o se pôr, o silêncio e o barulho, e os meios termos... experienciar a vida, odiar e amar a vida, as escolhas, as consequências, os amores confusos, os amores deliciosos, os não amores,alegrias e tristezas... e o deserto segue seco e misterioso, e os lugares gelados seguem gelados e misteriosos,e a natureza segue enigmática gigantesca e misteriosa.. e as cidades seguem cruéis..e misteriosas..e apesar de todas as teorias,de todos os territórios, de todos os sentimentos, nós seguimos animais.. e absurdamente misteriosos.

quarta-feira, maio 06, 2015

é tanta coisa de pensamento que a cabeça vai sintetizando.. acho bem louco isso de ir assimilando as percepções todas a cada segundo do mundo todo dentro da gente e fora, e essa perspectiva de que são abismos, coisas totalmente diferentes o dentro e o fora. é a mística permeando tudo, coisas que enxergamos e também não. eu estou perplexa diante da realidade de que disposição não é o mesmo que disponibilidade. .. "Não posso aturar comigo nem posso fugir de mim.." então aí posso perceber que isso do amor tem haver com a minha necessidade pessoal de que o outro preencha os meus buracos, enquanto eu preciso sem saber muito como, preencher os buracos desse outro também. acho que os conflitos surgem a partir do momento em que tá todo mundo esburacado e sem conteúdo pra tapar o alheio, entende?
e eu que odeio cidades, que me sinto deslocada a cada tentativa de encaixe nesse molde social imposto,acabei voltando pra cá, a maior do meu país, uma das maiores do mundo, parece um castigo, ter que cumprir mais missão nessa dinâmica que aqui se apresenta.. E pensar que é tudo escolha nossa..Onde conheci a teoria de saúde, a utopia do equilíbrio, onde encontrei os piores tipos de seres humanos que já pude esbarrar, os mais cruéis, ranzinzas, ocos e doentes, muitos maquiados de zen, yoguis, evoluídos.. E também reencontrei os melhores, mais solidários, sensíveis, amáveis... são paulo é esse lugar mais do ódio que do amor com toda a certeza, porque no concreto não temos capacidades orgânicas de nos conectarmos, mesmo com tanta tentativa, com tanta vontade de parecermos conscientes, na cidade somos meros animais selvagens, raivosos, sobreviventes, como na selva. não é atoa o apelido "selva de pedra". Então na selva natural somos tão bichos quanto na selva de pedra, ou seja, não tem pra onde fugir. Bicho nascemos bicho somos

terça-feira, abril 28, 2015

noite passada sonhei que ogum me presenteava com uma espada. kleber me entregava a espada. 
ganhei cama nova, acendi um drum e tenho tentado olhar mais pro céu
A cidade nos consome por inteiro

sexta-feira, março 27, 2015

eu hoje de manhã comendo pitaia pensei no sopro que é a vida,
Na frase bíblica amai-vos uns aos outros,
Nos rios de agua doce que percorrem o norte do país,
E nas cachoeiras de Minas.
hoje de manhã pensei nas minhas raízes,
Nos laços que tecemos e desatamos todos os dias
Nas atitudes mínimas que nos levam a consequências máximas
Hoje de manha pedi clareza
Serenidade, caminho, leveza
Pensei nas pautas políticas que rolo diariamente no mural coletivo
Pensei em silêncio que já passou esse segundo esse milésimo esse sopro
Pensei presença. 
Axé pra nova estrela que brilha no céu, porque não aguentou o fardo do cotidiano.
Axé pra gente que fica. Respiremos.

segunda-feira, março 23, 2015

É quase um ensaio
Acho que tem haver com o outono
A vizinha mais próxima da janela do quarto é uma árvore
Às vezes eu coloco a cabeça pra fora e faço perguntas
O vento ajuda a responder algumas,
Outras acho que espalham
Rolei o muro de faces
Chocada com as dançarinas da ucrania
Mais chocada com as notícias da vida dos outros
Mais um espirro
A gripe chegando me mandando ficar queta
Lembrei da abóbora na cozinha
Escrevi pra minha bruxa preferida
Play no racional do tim

domingo, março 15, 2015

quinze de março de dois mil e quinze
acordei na cama de outrem
gosto do cheiro dos outros em mim
tive um domingo pacato silencioso
pôr do sol me faz lembrar que respirar é.
e eu sigo sendo. 
o vizinho escuta um samba baixinho
parece clara nunes
eu observo junto às plantas o pôr do sol
corpo leve de domingo
roupas leves de dormir
dormingo

domingo, março 01, 2015

pensei minhas tripas
pensei suas tripas
pensei misturadas

manhã de domingo e os meus cabelos estão limpos
escuto a conversa dos pássaros, estive ontem com uma feiticeira pássaro
deixo uma fresta aberta e o sol penetra devagar
ainda tenho na boca o cheiro de um certo homem 
isso dos encontros não é coisa simples.
é domingo cedo e o meu sistema digestivo funciona bem
o corpo ainda rígido dos giros e conquistas musculares
observo o todo e todo o jeito que o mundo se comunica
entramos em março e eu sigo sendo marinheira desse oceano de nada com positividade

sexta-feira, fevereiro 20, 2015

tem dia que é assim
tem dia que a gente chama de sexto
dentro de uma lógica calendária que nos informaram
do tipo: é assim que é e é assim que vai ser. 
tem dia que eu acordo e precisando de música nova, poesia bonita
tem dia que eu acredito que entendi o que significa estado de contentamento
corpo mais solto pras vivências
corpo
tem dia que eu acordo tatuagem
tâmaras
roupas coloridas
menina
cabelos
reggae

sábado, janeiro 31, 2015

21:12 é sábado
meu coração está tão calmo que 
nem a pior notícia 
nem a melhor notícia
pode abalar
hoje comi abóboras
bebi água vinho e chá 
não pensei em você
hoje me alonguei respirei abri espaço
isso não é um diário.
a lua tá quase cheia
estou serena como quem não se preocupa
estou inteligente como quem vivencia
estou madura como quem cresce
hoje meditei
é sábado e eu não sou carnavalesca
não tenho um amor curativo (ainda)
hoje meu coracão está tão calmo
que eu sei que ele vem. 
São paulo céu branco
Corações leves perto do outono
Lua quase cheia
Medito
Massageio vísceras alheias
Escuto
A sensibilidade dos corpos no espaço
Concomitante com o meu
Silêncio ecoa 
Serenidade ainda me possui
Mantendo o coração calmo
Observo o todo
Sem detalhar as coisas
Me preencho delas

segunda-feira, janeiro 12, 2015

outubro de 2014

Resultado das urnas
Lua cheia
Hormônios explodindo a cabeça
Sangrei
Peguei o tapete mágico
Sentei, cerrei os olhos
Yoga
É esse estado de permissão
É um estado bonito,sabe?
Observo os pensamentos que correm
Presto atenção ao ar que entra pelas minhas narinas e percorre e se expande por todo o corpo
O ar é esse gigante invisível
Que faz toda a vida pulsar
Jeito gostoso de refrescar as sensações
Experimenta

quinta-feira, janeiro 08, 2015

os amigos

esse que
te lembram que é possível ser frágil
que leveza é simples
que amor dói mesmo
que é quarta-feira mas os drinks 
estão aí

terça-feira, janeiro 06, 2015

eis que me dou conta: o amadurecer é como o desabrochar - cada pétala que se abre é equivalente a cada expansão de consciência que nos vai ocorrendo a medida que os ciclos correm.









(percorrendo o tocantins)
eu vou contar que
eu risco sete Estados do País
observo os meus emaranhados psíquicos
observo os meus estados em cada um desses Estados
transformo dor em poesia
eu vi de perto o meu povo
esse de todas as cores
eu vi as marcas desse sol que castiga
eu vi a fartura e pela primeira vez entendi esse nutrir que sai dos alimentos e entra nos nossos sistemas digestivos
 o amor de quem cozinha é o tempero que nos nutre
eu estou de minha pele refém
como ela de mim está
enrolamo-nos num piscar de existência
caminhamos juntas sentindo as nuances das experiências
silêncio é alto falante.

pós pará maranhão tocantins goiás distrito federal minas gerais são paulo
eu saí direto da sua cama para a minha realidade
você saiu direto de perto de mim pra ir pro lugar platônico mais improvável
que tava guardado, empoeirado
eu cresço a cada dia e como uma fruta que amadurece pro clima específico das coisas
aprendo que quanto mais adverso mais suculento
quanto mais mistura menos origina
quando você me procura e já é noite,
precisa entender que o mundo cobra que falar sem fazer não é bonito
que a gente pega responsa com aquilo que cativa, com aquilo que gasta esforço pra ser nosso
eu acordo a cada dia e aprendo
que tudo que a gente pensa expande
que a gente pede com o coração e alguma coisa maior atende
que então é pra ter cuidado e cautela
atentar pra cada detalhe
é domingo
estamos na hora do almoço
com a família
eu estou sozinha
é minas gerais
aqui posso morrer de tédio
posso descansar tanto que canso
do descanso
preciso do silêncio
e da solidão
pra me inspirar
mulatu astatke me acompanha
e um café quente





quando acordo escutando chet faker é porque
oscilei
entre os ciclos lunares
entre a fertilização imaginativa
entre o estar bem olhar dentro do meu próprio olho
quando acordo e já estamos em outro ano
e este meu estado emocional
se altera sem me pedir permissão
eu percebo que os meu cabelos estão enormes
exuberantes
o mundo não tem espaço para românticos.

segunda-feira, janeiro 05, 2015

https://www.youtube.com/watch?v=YhQh5i_dlhA


eu vou escrever pra você,porque hoje eu desfiz mais uma mala e é como se a vida fosse esse looping que eu desgosto quando penso nas repetições
estou confusa diante de nossas lacunas
diante desse silêncio dessa respirada entre as comunicações
sua energia impregnou, te carreguei pra sete estados físicos do nosso país e te emaranhei em um sem fim de estados psíquicos do meu corpopaísrefém de mim mesma,escuta:
eu estou amadurecendo para este tempo das coisas que não sempre será o meu tempo dos acontecimentos
eu gosto de silêncio mato água doce
estou sendo guiada
hoje cozinhei aquele banho de oxalá
acredito no invisível que me faz refém
estou humilde diante da minha juventude
estou pretensiosa diante das minhas escolhas
desaprendi como é isso de se cuidar
hoje fazem exatos
quatro meses do primeiro encostar
estou desesperada diante da possibilidade de que isso se estenda sem resposta
vou dançar as danças internas pro mundo
pra dançar as danças externas pra mim
transFORMAR esse corpo que pede terra
que necessita de amor
curativo
paz
plenitude
serenidade
é mais um ano que entra,
e eu completo 9 anos disso aqui. o tempo caminha.