sábado, janeiro 31, 2015

21:12 é sábado
meu coração está tão calmo que 
nem a pior notícia 
nem a melhor notícia
pode abalar
hoje comi abóboras
bebi água vinho e chá 
não pensei em você
hoje me alonguei respirei abri espaço
isso não é um diário.
a lua tá quase cheia
estou serena como quem não se preocupa
estou inteligente como quem vivencia
estou madura como quem cresce
hoje meditei
é sábado e eu não sou carnavalesca
não tenho um amor curativo (ainda)
hoje meu coracão está tão calmo
que eu sei que ele vem. 
São paulo céu branco
Corações leves perto do outono
Lua quase cheia
Medito
Massageio vísceras alheias
Escuto
A sensibilidade dos corpos no espaço
Concomitante com o meu
Silêncio ecoa 
Serenidade ainda me possui
Mantendo o coração calmo
Observo o todo
Sem detalhar as coisas
Me preencho delas

segunda-feira, janeiro 12, 2015

outubro de 2014

Resultado das urnas
Lua cheia
Hormônios explodindo a cabeça
Sangrei
Peguei o tapete mágico
Sentei, cerrei os olhos
Yoga
É esse estado de permissão
É um estado bonito,sabe?
Observo os pensamentos que correm
Presto atenção ao ar que entra pelas minhas narinas e percorre e se expande por todo o corpo
O ar é esse gigante invisível
Que faz toda a vida pulsar
Jeito gostoso de refrescar as sensações
Experimenta

quinta-feira, janeiro 08, 2015

os amigos

esse que
te lembram que é possível ser frágil
que leveza é simples
que amor dói mesmo
que é quarta-feira mas os drinks 
estão aí

terça-feira, janeiro 06, 2015

eis que me dou conta: o amadurecer é como o desabrochar - cada pétala que se abre é equivalente a cada expansão de consciência que nos vai ocorrendo a medida que os ciclos correm.









(percorrendo o tocantins)
eu vou contar que
eu risco sete Estados do País
observo os meus emaranhados psíquicos
observo os meus estados em cada um desses Estados
transformo dor em poesia
eu vi de perto o meu povo
esse de todas as cores
eu vi as marcas desse sol que castiga
eu vi a fartura e pela primeira vez entendi esse nutrir que sai dos alimentos e entra nos nossos sistemas digestivos
 o amor de quem cozinha é o tempero que nos nutre
eu estou de minha pele refém
como ela de mim está
enrolamo-nos num piscar de existência
caminhamos juntas sentindo as nuances das experiências
silêncio é alto falante.

pós pará maranhão tocantins goiás distrito federal minas gerais são paulo
eu saí direto da sua cama para a minha realidade
você saiu direto de perto de mim pra ir pro lugar platônico mais improvável
que tava guardado, empoeirado
eu cresço a cada dia e como uma fruta que amadurece pro clima específico das coisas
aprendo que quanto mais adverso mais suculento
quanto mais mistura menos origina
quando você me procura e já é noite,
precisa entender que o mundo cobra que falar sem fazer não é bonito
que a gente pega responsa com aquilo que cativa, com aquilo que gasta esforço pra ser nosso
eu acordo a cada dia e aprendo
que tudo que a gente pensa expande
que a gente pede com o coração e alguma coisa maior atende
que então é pra ter cuidado e cautela
atentar pra cada detalhe
é domingo
estamos na hora do almoço
com a família
eu estou sozinha
é minas gerais
aqui posso morrer de tédio
posso descansar tanto que canso
do descanso
preciso do silêncio
e da solidão
pra me inspirar
mulatu astatke me acompanha
e um café quente





quando acordo escutando chet faker é porque
oscilei
entre os ciclos lunares
entre a fertilização imaginativa
entre o estar bem olhar dentro do meu próprio olho
quando acordo e já estamos em outro ano
e este meu estado emocional
se altera sem me pedir permissão
eu percebo que os meu cabelos estão enormes
exuberantes
o mundo não tem espaço para românticos.

segunda-feira, janeiro 05, 2015

https://www.youtube.com/watch?v=YhQh5i_dlhA


eu vou escrever pra você,porque hoje eu desfiz mais uma mala e é como se a vida fosse esse looping que eu desgosto quando penso nas repetições
estou confusa diante de nossas lacunas
diante desse silêncio dessa respirada entre as comunicações
sua energia impregnou, te carreguei pra sete estados físicos do nosso país e te emaranhei em um sem fim de estados psíquicos do meu corpopaísrefém de mim mesma,escuta:
eu estou amadurecendo para este tempo das coisas que não sempre será o meu tempo dos acontecimentos
eu gosto de silêncio mato água doce
estou sendo guiada
hoje cozinhei aquele banho de oxalá
acredito no invisível que me faz refém
estou humilde diante da minha juventude
estou pretensiosa diante das minhas escolhas
desaprendi como é isso de se cuidar
hoje fazem exatos
quatro meses do primeiro encostar
estou desesperada diante da possibilidade de que isso se estenda sem resposta
vou dançar as danças internas pro mundo
pra dançar as danças externas pra mim
transFORMAR esse corpo que pede terra
que necessita de amor
curativo
paz
plenitude
serenidade
é mais um ano que entra,
e eu completo 9 anos disso aqui. o tempo caminha.