quinta-feira, dezembro 07, 2006

"(As pessoas).Quanto menos as vejo,mais gosto delas."
"Dou duas voltas no quarteirão,encontro 200 pessoas e não vejo nenhuma criatura humana. Olho na vitrine das lojas e não há nada que me interesse.No entanto,tudo tem preço. Uma guitarra,ora,porra,pra que me serve uma coisa dessas?Só se for pra tacar foto.Toca-discos,tevê,rádio. Tralha inútil.Bugiganga imprestável.Um troço pra embrutecer o cérebro. Como soco com luva vermelha de 200 gramas. Popt. Te derruba no chão."
"Nada estava em sintonia,nunca.As pessoas vão se agarrando às cegas a tudo que existe: comunismo,comida natural,zen,surf,balé,hipnotismo,encontros grupais, orgias,ciclismo,ervas, catolicismo,halterofilismo,viagens,retiros,vegetarianismo,
Índia, pintura,literatura,escultura,música,carros,mochila,ioga,cópula,jogo,bebida,
andar por aí,iorgute congelado,Beethoven,Bach,Buda,suicídio,roupas feitas à mão,vôos à jato,Nova Iorque,
e aí tudo se evapora,se rompe em pedaços.
As pessoas têm que achar o que fazer enquanto esperam a morte.
Acho legal ter uma escolha."

3 comentários:

buk_wendel disse...

charles bukowski ?????????

flor meio murcha disse...

exatamente
como voce descobriu isto aqui?

lagrimadosol@hotmail.com disse...

por acaso........
eu tenho esse livro "Mulheres"
do Buk......